Top Pop

Aqui você encontra as listas mais divertidas do mundo da moda e do universo pop

10 filmes para assistir no Dia dos Pais
Confira nossa lista de filmes para você assistir com o seu pai no próximo domingo
Fonte: adorocinema.com.br
Publicado em 03/08/2015

À Procura da Felicidade (The Pursuit of Hapyness, 2006 – Diretora: Gabriele Muccino, EUA - Gênero: Drama)

Inspirado em uma história real, À Procura da Felicidade traz um pai divorciado, com graves problemas financeiros, mas disposto a tudo para dar uma boa vida ao seu filho. Chris Gardner (Will Smith) aceita um trabalho não-remunerado como estagiário, na esperança de ser contratado no final da experiência. Enquanto isso, sem ter onde morar, ele dorme com o filho em banheiros públicos ou estações de trem. Inspirador, o filme traz ainda a atuação de Will Smith ao lado de seu filho na vida real, Jaden Smith.

Uma Lição de Amor (I Am Sam, 2001 – Diretor: Jessie Nelson, EUA - Gênero: Drama)

Em 2001, Sean Penn se apresenta ao espectador como Sam, um deficiente mental que precisa provar para a justiça que tem condições de criar sua filha de sete anos (Dakota Fanning). Uma Lição de Amor foi escrito e dirigido por Jessie Nelson (A História de Nós Dois) e figura, certamente, na lista dos filmes com dose elevada de emoção e lágrimas. Michelle Pfeiffer completa o elenco que tem mais famosos, mas é Penn (indicado ao Oscar) e Fanning que comandam o show, que conta ainda com as canções dos Beatles na trilha sonora.

A Vida é Bela (La Vita e Bella, 1999 – Diretor: Roberto Benigni, Itália - Gênero: Comédia, drama, guerra)

Como proteger seu filho em meio a um campo de concentração nazista? Esta é a difícil tarefa de Guido (Roberto Benigni), um bem-humorado judeu que se vê em apuros quando sua família é capturada em plena Alemanha de Adolph Hitler. Para evitar que seu filho tenha medo, Guido cria um mundo de faz de conta onde tudo faz parte de uma grande brincadeira. O contraste com a dura realidade e a dedicação do pai são alguns dos principais destaques de A Vida é Bela, vencedor de três Oscar.

O Campeão (The Champ, 1979 – Diretor: Franco Zeffirelli, EUA - Gênero: Drama, esporte)

Nesta ficção, um ex-campeão dos ringues (Jon Voight) batalha dia após dia como treinador de cavalos para criar sozinho o seu filho (Rick Schroder). A situação complica quando a mãe (Faye Dunaway), já bem de vida, resolve tirar a criança dos braços do pai e ele se vê obrigado a voltar para o tablado para faturar mais no intuito de assegurar que o menino permaneça sob a sua guarda. Com trilha sonora indicada ao Oscar, a trama relativamente simples foi um "direto" no coração dos espectadores e fez grande sucesso.

Os Descendentes (The Descendents, 2011 – Diretor: Alexander Payne, EUA - Gênero: Comédia dramática)

Matt King (George Clooney) é um pacato advogado que se vê obrigado a assumir o comando da família quando sua mulher sofre um acidente e entra em coma profundo. A parte mais difícil é lidar com as duas filhas, a precoce caçula de 10 anos (Amara Miller) e a adolescente rebelde Alex (Shailene Woodley). Vencedor do Oscar de roteiro adaptado.

Uma Babá Quase Perfeita (Mrs. Doubtfire, 1993 – Diretor: Chris Columbus, EUA – Gênero: Comédia, drama)

Pai que é pai mesmo faz de tudo para ficar perto dos filhos! E o personagem de Robin Williams em Uma Babá Quase Perfeita leva essa ideia às últimas consequências. Abalado com o pedido de separação por parte da mulher (Sally Field), ele cria a identidade da babá perfeita Euphegenia Doubtfire apenas para ficar perto de suas três crianças, não se importando em se vestir de mulher e usar uma maquiagem bem pesada para isso.
Dirigido por Chris Columbus, o filme é divertidíssimo e conta com uma das atuações mais marcantes da carreira do astro. Arrecadou mais de US$ 400 milhões em todo mundo e conquistou um merecido Oscar de Melhor Maquiagem. Williams recebeu um Globo de Ouro pelo trabalho.

Junior (1994 – Diretor: Ivan Reitman, EUA – Gênero: Comédia)

Pode alguém ser mãe e pai ao mesmo tempo? Arnold Schwarzenegger demonstrou que sim. Na comédia Junior ele é um cientista que, juntamente com o personagem de Danny DeVito, desenvolve um método onde um homem pode gerar um bebê após usar uma droga para auxiliar na gravidez. Esta insólita comédia de fundo científico conta ainda com a participação de Emma Thompson, como uma cientista que acaba se envolvendo com a atrapalhada dupla.

Três Solteirões e um Bebê (Three Men and a Baby, 1987 – Diretor: Leonard Nimoy, EUA – Gênero: Comédia, drama)

A maioria dos filmes dessa lista trazem um pai principal, mas isso não acontece em Três Solteirões e um Bebê, em que temos nada menos que três figuras paternas. Peter (Tom Selleck), Michael (Steve Guttenberg) e Jack (Ted Danson) são solteiros convictos que vivem uma rotina de festas no apartamento em que dividem. Determinado dia, um bebê é deixado na porta com um bilhete da mãe avisando que não teria condições de cuidar da criança por um tempo. Assim, o trio decide acolher o bebê, o que afetará suas vidas para sempre.

O filme é divertido, simpático e muito delicado, tendo faturado mais de US$ 160 milhões só nos Estados Unidos. A direção é de Leonard Nimoy (o Spock de Star Trek).

Procurando Nemo (Finding Nemo, 2003 – Diretor: Andrew Stanton, Lee Unkrich, EUA - Gênero: Animação)

Após presenciar o brutal assassinato da esposa e de vários de seus ovos, Marlin acaba ficando sozinho com seu filho Nemo. Como não poderia deixar de ser, ele acaba desenvolvendo um protecionismo que quase sufoca o peixinho, que acaba capturado por um mergulhador durante uma simples discussão com seu pai. Agora, Marlin precisa enfrentar uma longa jornada em busca de seu precioso filho. Vencedor de um Oscar de Melhor Animação, o filme diverte e emociona. É uma produção para crianças e adultos.

O Rei Leão (The Lyon King, 1994 – Diretores: Roger Ellers, Rob Minkoff, EUA - Gênero: Animação)

Nesta premiadíssima animação, o personagem Mufasa, de O Rei Leão, demonstra muito carinho e preocupação com o filho Simba. A sequência que leva a sua morte, após um plano do irmão Scar, é uma das mais tristes e marcantes da história das animações da Disney.

A morte, no entanto, não impede o personagem de continuar zelando pelo bem de seu filho, ficando a lição de que ele sempre estará lá no céu quando Simba precisar de apoio. Mufasa demonstra muita sabedoria e responsabilidade, agindo como pai não só do filho biológico, mas de toda a floresta.

Confira outras publicações da Italia Milano