Fashion Masters

Se você quer saber dos looks e estilistas mais conceituados do momento, este é o lugar.

André Courrèges: futurismo nos anos 60
Estilista francês foi responsável por popularizar minissaia e levar ares futuristas à moda dos anos 1960; Courrèges faleceu na última sexta-feira (dia 8), aos 92 anos
Fonte: g1.globo.com.br; courreges.com; vogue.com
Autor: Mie Francine Chiba
Publicado em 11/01/2016

Após 30 anos lutando contra a doença, faleceu nesta última sexta-feira (dia 8), o estilista francês André Courrèges, vítima do Parkinson, aos 92 anos. O profissional foi símbolo da revolução da moda nos anos 60 com suas minissaias, botas, peças de vinil e predominância do branco, sua cor favorita, o que deu um ar de futurismo às suas criações à época.

A arquitetura era onipresente em seu trabalho, conforme diz o site de sua maison. Descobriu a arquitetura estudando na École Nationale des Ponts-et-Chaussées. Nascido em 1923, o francês chegou a Paris em 1945, onde começou a trabalhar para o estilista Cristobal Balenciaga.

Courrèges abriu a sua própria casa de costura em 1961 junto de sua esposa, Coqueline. “Graças a ele, as mulheres descobriram a pantalona, em 1963”, diz o site de sua marca. A revolução veio em seguida, em 1965, com a minissaia, e em 1967, com as calças justas. “Em liberdade” era seu lema, em 1968, quando criou a pantacourt, uma espécie de pantalona com barra mais curta que voltou à moda nos dias de hoje.

O estilista se aposentou em 1994, quando deixou sua Maison a cargo da esposa. Em 2011, a casa foi vendida à dupla Frédéric Torloting e Jacques Bungert. Hoje, a Courrèges ainda é uma marca presente no mercado mundial que não abandonou as suas origens. As peças, cheias de ares futuristas, ainda inspiram a mulheres no mundo todo. 

Confira fotos das criações da marca Courrèges ontem e hoje:

Crédito fotos: commons.wikimedia.com e vogue.com

Confira outras publicações da Italia Milano