Fashion Masters

Se você quer saber dos looks e estilistas mais conceituados do momento, este é o lugar.

Direto de 1920: moda imortal para mulheres independentes
A estilista Coco Chanel revolucionou a moda no começo do século XX com vestidos pretos e saias simples, tailleurs e o famoso perfume Chanel nº 5
Fonte: almanaque.folha.uol.com.br
Publicado em 21/01/2015

A estilista Coco Chanel se tornou um símbolo de mulher independente, com persoanlidade e estilo, e bem-sucedida. Trabalhando com moda, ela libertou as mulheres das faixas e cintas, dos corpetes apertados, das saias amplas e dos babados no fim do século XIX e no início do século XX.

Nascida em 1883, na França, Coco abriu sua primeira loja de chapéus em 1910, com a ajuda de amigos e de seu amante, o milionário criador de cavalos Etienne Balsam. Na década de 1920, teve contato e amizade com diversas personalidades da corrente artística, como o compositor Stavinski e os artistas Jean Cocteau, Picasso e Salvador Dalí.

Em 1916, ela introduziu na moda feminina de alta-costura os trajes de tecido xadrez e a moda escocesa, blusas de malha fina, calças boca-de-sino, jaquetas curtas e casacos cruzados na frente com cintura marcada, ao estilo militar, tudo muito diferente do que se via na época.

Coco também criou vestidos para a noite, tornando-se precursora do “pretinho básico”: em 1926, uma capa da revista “Vogue” estampava um modelo desenhado por Coco. Tratava-se de um vestido preto, simples, com gola e mangas largas com punhos. É dela a famosa frase: “Uma mulher precisa apenas de duas coisas na vida: um vestido preto e um homem que a ame”. A jaqueta de corte reto e as saias simples também se tornaram sua marca registrada.

Suas criações de peças simples estavam ao alcance de todas as mulheres, inclusive aquelas de poucos recursos. Os modelos foram imitados e confeccionados para qualquer faixa de preço. A estilista também gostava de colares de correntes ou pérolas de várias voltas. A atriz Audrey Hepburn ajudou a imortalizar o estilo criado por Coco, usando um simples vestido preto e um colar de pérolas.

O fim de sua carreira começou no início da Segund Guerra Mundial, quando Coco fechou suas lojas. Não era uma época muito promissora para a moda. Em 1945, foi para a Suíça e voltou à França em 1954, quando retomou suas criações. Suas novas coleções não agradaram muito aos franceses, mas foi muito apreciada pelos norte-americanos, que se tornaram alguns de seus maiores compradores.

Coco Chanel faleceu em Paris em janeiro de 1971, quando já tinha 87 anos. Desde 1983, o estilista alemão Karl Lagerfeld assumiu a diretoria de criação da marca Chanel. Pelas mãos de Lagerfeld, o estilo clássico e revolucionário da estilista se tornou imortal. Hoje, a marca Chanel se transformou e um símbolo de status. As bolsas com alças de corrente, o tailleur e o vestido preto até hoje são peças desejadas pelas mulheres sofisticadas e independentes. Mas o seu perfume, o Chanel nº 5, criado em 1921, é que fez mais sucesso e hoje é considerado um dos mais vendidos no mundo. O frasco tem inconfundível estilo art déco e já foi até incorporado ao acervo permanente do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

 

Dica:

Para saber mais sobre a história de Coco Chanel, assista ao filme Coco antes de Chanel (Coco avant Chanel, 2009 - Diretora: Anne Fontaine, França), em que a estilista é interpretada pela atriz Audrey Tatou.  

 

Conheça algumas peças da coleção primavera/verão 2015 da Chanel (clique nas imagens para ampliar):

Crédito das fotos: chanel.com

Confira outras publicações da Italia Milano