Blog

Aqui nós compartilhamos nossas ideias :)
16/03/2015

As 8 mulheres mais marcantes das novelas

Vilãs ou mocinhas, elas nos fizeram chorar de emoção ou morrer de raiva em frente à TV; confira oito personagens mulheres que marcaram a história da teledramaturgia brasileira

Vez ou outra, aparece na telinha uma personagem de novela que chega a marcar época na história da teledramaturgia brasileira. São mulheres para quem torcemos ou de quem morremos de raiva. A emoção ao acompanhar suas histórias é tanta que parece até que as personagens são reais. Listamos aqui oito personagens mulheres que marcaram a trajetória das novelas brasileiras. Relembre:

Fernanda Montenegro (Charlote de Alcântara Pereira Barreto - Charlô) - Guerra dos Sexos (1983)

A novela de Silvio de Abreu mostrava o início da luta feminina no mercado de trabalho no início dos anos 80. Nela, a atriz Fernanda Montenegro era a feminista Charlote de Alcântara Pereira Barreto ou “Charlô”, que lutou pelos direitos de suas funcionárias nas lojas Charlô’s.

 

Porcina (Regina Duarte) – Roque Santeiro (1985)

A viúva Porcina, da novela Roque Santeiro é, com certeza, umas das personagens mais lembradas da teledramaturgia brasileira. Vivida pela atriz Regina Duarte, a “namoradinha do Brasil”, tinha um gosto bastante duvidoso para roupas. Na novela, porcina faz parte da farsa criada pelo Sinhozinho Malta (Lima Duarte) para tirar proveito sobre a imagem de Roque Santeiro, a quem julgava morto. Porcina era a amante de Sinhozinho Malta, que espalhava a todos que ela era a viúva de Roque, que a população local considerada santo.

 

Odete Roitman (Beatriz Segall) – Vale Tudo (1988)

“Quem matou Odete Roitman?” Esta era a pergunta que não queria se calar em 1988, quando os brasileiros se despediram de uma das maiores vilãs da telinha. Odete Roitman (Beatriz Segall) era a presidente do grupo “Almeida Roitman” uma companhia de aviação que enfrentava a crise e a desestabilidade econômica dos tempos do Cruzeiro.

 

Tieta (Betty Faria) – Tieta (1989)

Betty Faria interpretou Tieta na novela de Aguinaldo Silva. A novela completou 25 anos em 2014, e foi inspirada no romance “Tieta do Agreste”, de Jorge Amado. Tieta é uma jovem que é expulsa pelo próprio pai da comunidade onde vive pelo seu comportamento liberal. Após 25 anos, ela retorna à cidade que a rejeitou.

 

Dona Armênia (Aracy Balabanian) – Rainha da Sucata (1990)

Mãe superprotetora de três marmanjos, a quem chamava de “minhas filhinhas”, Dona Armênia foi a personagem mais marcante e imitada da novela Rainha da Sucata (1990). A armênia de sotaque carregado vivida por Aracy Balabanian usava e abusava de um visual exageradamente colorido e estampado, proprietária de uma escola de paraquedismo e de um terreno na Avenida Paulista, onde foi construído um prédio comercial. Neste edifício fica o escritório da Do Carmo Veículos e a Sucata, empresa e casa de shows de Maria do Carmo (Regina Duarte). Dona Armênia vive ameaçando a empresária, dizendo que implodirá o prédio e o jogará “na chon”, expressão que se tornou marca da personagem e ganhou popularidade entre os telespectadores, transformando-se em bordão.

 

Natasha (Cláudia Ohana) – Vamp (1991)

Em 1991, Cláudia Ohana interpretou a vampira de pele pálida, olhos vermelhos e dentes afiados Natasha. A vampira, que conseguiu fama no mundo musical ao fazer um pacto com o mestre conde Vlad, luta para desfazer o acordo e escapar da maldição – ainda mais depois que se apaixona pelo mortal Lipe.

 

Nazaré (Renata Sorrah) – Senhora do Destino (2004)

Foram poucas as vezes que os brasileiros se mobilizaram para saber do destino de uma vilã, como foi na novela Senhora do Destino. Na trama, Renata Sorrah era a malvada Nazaré, uma ex-prostituta que roubou uma criança para comprovar uma falsa gravidez e convencer seu amante a abandonar a família e se casar com ela.

 

Carminha (Adriana Esteves) – Avenida Brasil (2012)

Na novela escrita por João Emanuel Carneiro, a ambiciosa Carminha armou o atropelamento que matou seu primeiro marido, Genésio (Tony Ramos), largou a enteada no lixão e abandonou seu filho Jorginho (Cauã Reymond), fruto do relacionamento paralelo com o seu amante Max (Marcello Novaes). No decorrer da novela, enfrenta o plano de vingança de Rita, a enteada que abandonou no lixão, que mudou o nome para Nina (Débora Falabella).

 

Há 20 anos no mercado produzindo
produtos promocional, magazines,
Private Label e marcas próprias.

Contato

Av. Souza Naves, 193. Apucarana/PR 
CEP: 86800-570

  • 43 3420.1000

  • comercial@italiamilano.com.br